HIPERIDROSE

Chamamos de hiperidrose a doença daquelas pessoas que suam em excesso. Na verdade nao é simplesmente suar demais, pois o suor é parte fundamental do funcionamento normal do corpo humano. Suar nada mais é do que uma forma do organismo perdar o calor. Se a pessoa deixasse de suar, ela teria um superaquecimento interno e poderia entrar em colapso.

Algumas pessoas suam muito, a ponto de atrapalhar nas atividades do dia a dia. Elas chegam a pingar as maos e assim param de comprimentar as outras pessoas. Algumas vezes deixam de sair de casa e de conhecerem novas pessoas. Outras chegam a perder seus empregos pois “borram” os papéis do trabalho. Esta é uma condição que acomete nao somente adultos, mas também crianças que são motivo de bulling nas escolas e já está provado que tem menor rendimento se comparadas as outras.Sendo assim, perceba que esta não é uma condição apenas estética, mas sim uma doença, pois causa transtorno psico-social em seus portadores. Dizemos, porém que a melhor indicação para tratamento desta doença, ao contrário de outras doenças, vem do próprio paciente, que deve estar consciente dos benefícios e dos efeitos adversos que o tratamento pode trazer.

O suor em excesso pode ocorrer em diversos locais do corpo: nos pés, nas mãos, no tórax, nas axilas, no rosto. Vários tratamentos são propostos para “resolver” esta situação. Irei dizer um pouco sobre os principais.Cuidado! Existem várias formas de tratamento, nem todas são eficazes e algumas podem ser maléficas ao paciente.Existem bons sabonetes, loções e cremes antitranspirantes (antiperspirantes) que podem ser utilizados em casos leves, e com isso trazerem resultados momentaneamente satisfatórios. Digo momentaneamente porque logo que a duração acaba, o efeito também acaba.

Outras técnicas menos utilizadas em nosso meio são a Iontoforese – uma espécie de corrente elétrica que inativa a liberação de secreções pelas glândulas sudoríparas. O uso de medicamentos como anticolinérgicos, betabloqueadores, ou benzodiazepinicos, também podem ajudar, porém com seus conhecidos efeitos colaterais. E a “retirada das glandulas”: uma cirurgia mutilante e pouco utilizada nos dias de hoje.Entre os principais tratamentos propostos hoje em dia estão a aplicação de toxina botulínica A e a Simpatectomia torácica por vídeo.

A aplicação de toxina botulínica A (Botox) tem sido cada vez mais indicada e com bons resultados em casos leve-moderado, entretanto seu efeito é observado temporariamente, isto é algo em torno de 6 – 8 meses, devendo ser repetido. É um processo pouco invasivo e que pode ser aplicado no consultório. Apresenta como principais desvantagens a dor no momento da aplicação e o alto preço – além da necessidade de repetição 1 a 2 vezes por ano. Para a maioria dos planos de saúde não existe cobertura do Botox para esta finalidade e este procedimento é feito em caráter particular.

A simpatectomia torácica por video é indicada nos casos moderados a graves e que trazem impacto importante na vida do paciente. Em alguns protocolos, este procedimento é indicado quando os outros tratamentos não trouxeram os resultados esperados. Entretanto, pelos bons resultados e pelos baixos e toleráveis efeitos colaterais, existe uma tendência a indicá-lo logo de início. Esta cirurgia deve ser realizada nos casos em que a sudorese excessiva concentra-se nas mãos e/ou axila e em alguns casos em que é observado rubor facial (“bochechas vermelhas”). É feita através de anestesia geral, no centro cirúrgico, precisando de intubação do paciente. O cirugião faz uma ou duas pequenas incisões (cortes) no tórax do paciente e introduz uma ótica ligada a uma câmera, que permite a visualização de dentro do tórax.

Com isso consegue identificar o “nervo” chamado cadeia simpática torácica. Esta é um conjunto de nervos que se interligam de cima para baixo, e emitem ramos laterais. Estes ramos são os responsáveis pela inervação das glândulas de suor. Com isso, interrompe-se a conexão nervosa e impede-se o estímulo do suor naquele local específico. Para as regiões das mãos e/ou axila, sabe-se que os gânglios nervosos torácicos números 3 e 4 são os principais. Daí, estes gânglios são isolados, isto é interrompidos, e deixam de mandar estímulos para estas regiões. Este procedimento é feito em ambos os lados (direito e esquerdo) no mesmo ato cirúrgico. A cirurgia dura algo em torno de 15 minutos a 01 hora – a depender da técnica utilizada que pode ser por colocação de clipes, por cauterização (queimando), ou por extirpação da cadeia (ressecção).

O paciente pode receber alta no mesmo dia ou no dia seguinte, a depender da decisão da equipe cirúrgica.O grande problema desta cirurgia é o que chamamos de hiperidrose compensatória (ou hiperidrose reflexa). Está é uma condição onde, após a intervenção – seja o Botox ou a cirurgia – outras partes do corpo passam a suar mais do que o habitual.Isso ocorre em 5% a 15% dos pacientes no primeiros seis meses, de forma leve a moderada. Gradativamente o organismo parece adaptar-se a esta nova condição e este suor torna-se suportável, e muito melhor do que aquele que indicou a cirurgia.

O problema é que em 1% dos casos esta hiperidrose compensatória é muito intensa e compromete muita a vida social do paciente, inclusive podendo ser pior do que aquela que motivou a intervenção. Mas como saber quem será “sorteado”? Não existe nenhuma forma para se conhecer previamente quem sofrerá com esta hiperidrose pós-operatória reflexa intensa. Daí, se isso ocorrer, a tentativa cai sobre o uso de medicamentos que reduzam a ansiedade e os efeitos adrenérgicos. Outra tentativa é a da retirada dos clipes quando estes foram utilizados, ou ainda implantação de um outro nervo no local daquele que foi retirado/queimado. Todas estas, sem grandes sucessos.Embora alguns digam que esta é uma “doença estética”, saiba que você não está sozinho.

É uma doença de verdade, e que traz um enorme transtorno psico-social. Converse com seu médico sobre as diversas formas de tratamento e, junto com ele, decida a que melhor se encaixa pra você. Se ainda estiver em dúvida, procure um especialista. Estaremos a disposição para explicar todas as alternativas!

http://pt.wikipedia.org/wiki/Hiperidrose
http://www.sbd.org.br/doencas/hiperidrose/
http://www.sbct.org.br/pdf/livro_virtual/simpatectomia_toracica.pdf
http://www.scielo.br/pdf/jbpneu/v34n11/v34n11a13.pdf

Onde estamos?

ATHO
Av. Nossa Senhora dos Navegantes n. 451, sala 1211.
Enseada do Suá. Vitória/ES
Telefone: 3024-2375 ou pelo site www.athooncologia.com.br

UNIMED
Av. Saturnino Rangel Mauro n. 245. Jardim da Penha. Vitoria/ES
Telefone:3200-3553 ou pelo site www.unimedvitoria.com.br/agendamento

Fale Conosco!

Clique aqui e veja mais onde estamos
© 2014 | Todos os direitos reservados